SportsManaus
ESPORTE AMADOR

Apesar de muitos erros, Brasil supera Holanda no segundo amistoso para o Campeonato Mundial

Especial

Augusto Patrick

Foto: Mauro Neto/Sejel

Mesmo com a Holanda ganhando um set, tentando dificultar ao entrar em quadra com uma escalação diferente e fazendo um jogo duro, mesmo assim, a Seleção Brasileira de Voleibol Masculino, atual equipe campeã olímpica conseguiu virar e vencer o amistoso por 3 sets a 1, com parciais de 23/25, 25/17, 25/23 e 25/19. O segundo amistoso entre as duas equipes, foi realizado na noite quente desta segunda-feira, 20/8, na Arena Amadeu Teixeira, em Manaus.

O oposto Wallace foi o maior pontuador brasileiro na partida, com 14 pontos. Os centrais Lucão e Maurício Souza anotaram 13 e 12, respectivamente. Pelo lado holandês, o oposto Wouter Ter Maat somou 14 pontos. Brasil e Holanda voltam se reencontram na quarta-feira, 22/8, em Belém, para o terceiro e último amistoso.

A Holanda foi escolhida para série de jogos, por estar no grupo do Brasil na primeira fase do Campeonato Mundial, que será disputada de 9 a 30 de setembro, na Bulgária e Itália. Segundo Renan Dal Zotto, técnico da Seleção Brasileira, foi um jogo duro e tenso, por conta da logística e desgaste, por isso, teve que mudar algumas peças no decorrer da partida.

– Foi um jogo duro, bastante tenso. Tivemos que mexer em algumas peças devido ao cansaço da primeira partida e da viagem. Todos que entraram corresponderam. O time está de parabéns. Nós vimos que a equipe precisa melhorar ainda uma série de situações durante o jogo. Crescemos na dificuldade, saímos perdendo por 1 a 0, não é fácil, mas o time soube ter paciência, jogar as bolas difíceis e ter maturidade para fechar o set numa hora importante – disse.

O Jogo

Com mudanças e a constante busca pelo time ideal que disputará o Campeonato Mundial, o técnico Renan Dal Zotto mudou novamente os jogadores para a partida em Manaus. Colocou o central Mauricio Souza e o ponteiro Lucas Lóh na equipe titular. Mais uma vez, Kadu foi o escolhido para formar a dupla na ponta. O levantador Bruninho, o oposto Wallace, o central Lucão e o líbero Thales completaram a escalação inicial.

O técnico holandês Gido Vermeulen trouxe novidades à quadra após a última partida. Cinco mudanças da equipe que iniciou o primeiro amistoso: o levantador Daan Van Haarlem, os ponteiros Maarten Van Gaarderen e Thijs Ter Horst, os centrais Jasper Diefenbach e Michael Parkinson, o oposto Wouter Ter Maat e o líbero Dirk Sparidans.

Com time renovado da Holanda, isso surtiu efeito, com dois bloqueios consecutivos. O Brasil sentiu o forte começo do adversário. Muitos erros aconteceram por partes da Seleção Brasileira de contra-ataques e saques desperdiçados.

O ritmo intenso dos holandeses não foi correspondido do outro lado. Um saque bateu na cabeça de Lucão e saiu. Uma bola de segunda do levantador Bruninho botou a Seleção de volta no set, com 21 a 21, mas a equipe da Holanda seguiu forte. Mesmo com a previsão de poupar o campeão olímpico Lipe, com dores no cotovelo direito, consequências de uma tendinite, Renan colocou o jogador em quadra, além de Rodriguinho. Mas não foi suficiente para brecar a Holanda: 23 a 25 no primeiro set.

O Brasil voltou mais atento para o segundo set com segurança na defesa e eficiência no ataque. A equipe brasileira logo abriu vantagem no placar: 10 a 4. Bruninho procurou Lucão e Wallace, que levantaram a torcida com grandes jogadas. Quando o placar apontou 14 a 9, os árbitros Walfran Braga e Sidney Delane alegaram erro de rotação na Holanda. O técnico holandês Gido Vermeulen ficou irritado e foi necessário pedido de tempo para acalmar os ânimos. Com a bola em jogo, a Seleção Brasileira continuou avassaladora. E veio das mãos de Lucão o ponto que fechou o set: 25 a 17.

O terceiro set começou com um Brasil desatento e um com grande início da equipe holandesa. O ponteiro Rodriguinho foi escalado para o lugar de Kadu, na tentativa de mudar o cenário do jogo. Oportunidade também para ser melhor observado pelo técnico Renan Dal Zotto. Com desvantagem de 11 a 7, Bruninho buscou uma bola com o pé para virada de Wallace que levantou a torcida em Manaus. A equipe brasileira cresceu aos poucos, com um belo bloqueio de Lucão empatou o set em 15 a 15. O líbero Maique, na sua primeira convocação também ganhou a chance de entrar em quadra, assim como, os veteranos Evandro e o levantador William. Eles mantiveram o ritmo, e o Brasil fez 25 a 23.

Douglas, o aniversariante da noite e Kadu apareceram no quarto set formando a dupla na ponta. Mas o oposto Wallace continuou como a referência do levantador Bruninho. A vantagem no marcador foi reflexo de um Brasil confiante, com a torcida como um sétimo jogador, rodou a bola até botá-la no chão na quadra adversária. Lucão seguiu aparecendo bem no bloqueio e nos saques. A Holanda pouco fez. Com 21 a 16, o técnico holandês chegou a pedir tempo. Uma sequência de saques parecia uma reação, mas o time já estava convencido da derrota. Bruninho correu até o banco e levantou para o 22º ponto brasileiro. E num bloqueio de Kadu e Maurício Souza, o Brasil fechou em 25 a 19.

Após a partida, o central Lucão também disse ter ficado impressionado com o calor da torcida manauara, não só pelo assédio aos jogadores, mas pela participação na partida, atuando como mais um jogador em quadra.

– Toda vez que a gente vem para cá o carinho é muito grande. Todo mundo trata a gente muito bem. Acho, porque não tem um voleibol tão forte aqui. É impressionante ver como todo mundo conhece e participa do jogo. Só tenho a agradecer – contou.

Outras postagens...

Anel que detecta a Covid-19 será utilizado pelos jogadores da NBA

Paulo Rogério

Jogador de Beisebol leva bolada forte na cabeça

Paulo Rogério

Com início avassalador, Amazonas conquista Campeonato Brasileiro de Seleções de Vôlei

Paulo Rogério

Leave a Comment

العربية简体中文EnglishFrançaisDeutsch日本語PortuguêsEspañol