Cartão amarelo: “Associação de Árbitros do AM solicita auxilio assistencial da FAF”

176

Foto: Divulgação 

Com quase dois meses sem futebol profissional, devido a pandemia do Covid-19, pelo poder mortal na contaminação e morte de pessoas, o drama da saúde pública não foi diferente ao atingir a rotina de torcedores, clubes, jogadores e arbitragem. Seguindo as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e órgãos de saúde do país, o futebol que envolve não apenas a paixão nacional, sofre com a indefinição de seu retorno de saber quando a bola vai rolar em campo?

Preocupado com o atual momento, a Associação de Árbitros de Futebol do Amazonas (Asaf), encaminhou um ofício solicitando um auxilio assistencial, a presidência da Federação Amazonense de Futebol (FAF), no final de abril. Com a paralisação, árbitros e assistentes tem no futebol uma maneira de conseguir uma renda extra, sem contar que outros até dependem diretamente do trabalho em jogos da federação como única fonte de recursos.

Há 14 anos no quadro de arbitragem da FAF, sendo instrutor de árbitros com graduação pela FIFA/CBF, o presidente da Asaf, Weden Cardoso Gomes, 44 anos, afirmou ao Sports Manaus, sobre a posição da entidade, que lida com um total de 60 integrantes.  

– O objetivo é uma ajuda de no mínimo com cestas básicas, mas isso ficaria a cargo do possível provedor da ajuda, no caso a FAF. Nesse caso, os árbitros que não detêm uma segunda renda, por conta da pandemia, não podem exercer suas atividades laborais (arbitrar e prestar serviços). Nesse momento eles sofrem significativas percas por não exercerem suas atividades – explicou, mas ainda destacou.

– Ainda não temos nenhuma resposta por qualquer canal de comunicação por parte da FAF sobre isso? A Asaf com o pouco que tinha, já ajudou alguns árbitros com cestas básicas e outros associados com seus alugueis, mas a instituição não tem presunção de lucro e não tem aporte financeiro. Por se tratar de uma instituição sem fins lucrativos, conforme o art. 53 do nosso Código Civil – citou.

A redação do portal entrou em contato com o presidente da FAF, Dissica Valério Tomaz sobre a solicitação da Asaf, mas até o fechamento da matéria não teve um retorno do dirigente da federação.



Paulo Rogério

I live in Brazil, in the city of Manaus, which hosted 2014 World Cup matches, the Olympic 2016 men's and women's football tournament. I'm Paulo Rogério Veiga, 51, a reporter, journalist and owner of sports portal www.sportsmanaus.com.br. I would like to inform you that I have received material from FIFA for 35 years, in addition to Conmebol and UEFA. I have also been editor of globoesporte.globo.com/am/ portal. I am working as a press and publicity advisor to leverage your company, product, brand, your soccer career, whether player, coach, club, manager, any professional that Works and conducts business in football. I am a professional / base player agent and a soccer coach. I have contact with agents, international agencies, academies, intermediaries, scoutings, among others in Brazil and in world football, including with signed contract. Another work I do is to attract potential investors to sponsor clubs in Brazilian football, which seek to gain their place in the regional, national and even international scenario. Contact us. E-mail: paulo.imprensa@hotmail.com pauloimprensa@gmail.com Contact: +55 (092) 3629-0651 (office) +55 (092) 99171-9226 (live / watsapp). Leia mais em sobre o editor clicando aqui.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.