Chile domina no tempo normal, para no VAR e vence Colômbia nos pênaltis

217

Da redação do SportsManaus, com informações da GAZETA PRESS

Chilenos tiveram dois gols anulados, mas venceram por 5 a 4 da marca da cal

Foto: EFE

O Chile derrotou a Colômbia nos pênaltis na noite desta sexta-feira (28 de junho), na Arena Corinthians, em duelo válido pelas quartas de final da Copa América. Com bom nível técnico dos dois lados, mas um Chile muito superior e gols anulados de Aránguiz e Vidal, ambos pelo VAR, mantiveram o placar em 0 a 0 no tempo normal. Nas penalidades, o único que não converteu foi o colombiano Tesillo, na quinta batida colombiana, abrindo caminho para Alexis Sánchez fechar a conta.

O vencedor agora espera a definição do seu adversário para saber quem enfrenta na semifinal, na quarta-feira (3 de julho), às 21h30, na Arena do Grêmio. Postulantes à vaga, Uruguai e Peru se enfrentam neste sábado (29), às 16h, na Fonte Nova, em Salvador.

Jogo movimentado e VAR acionado

O primeiro tempo em Itaquera foi bastante movimentado. Impulsionado pela cantoria da torcida, se não maioria mais barulhenta, o time da Colômbia marcou pressão e dominou os primeiros dez minutos, sempre rondando a área adversária. A primeira chance de perigo, porém, veio na escapada dos chilenos. Rápidos, os andinos desceram pela direita e Fuenzalida cruzou para Aránguiz desviar na primeira trave, obrigando Ospina a fazer grande defesa.

Pouco depois, Vidal acionou Alexis Sánchez na esquerda, Beausejour fez a ultrapassagem, recebeu e cruzou rasteiro. Sánchez e Ospina não se entenderam, o goleiro soltou a bola e Aránguiz tocou para o gol. A bola passou da linha o bastante para a festa dos chilenos, que não durou muito. Após aviso do VAR, o árbitro Nestor Pitana marcou impedimento de Alexis no início da jogada, frustrando os atuais bicampeões.

Mesmo com o baque, o Chile continuou sendo mais perigoso que a Colômbia, sustentando seu jogo principalmente na dupla Aránguiz e Vidal. Pressionada sempre que pegava a bola, a Colômbia só conseguiu aumentar o volume da sua torcida ao pressionar a saída rival, forçando alguns chutes tortos de Medel e Arias. Chance de gol, porém, só mesmo com Vidal, chutando de esquerda após passe de Alexis rente à trave de Ospina.

Mais Chile e mais VAR

A etapa final teve um ritmo mais cadenciado a partir dos dez minutos, com os times aparentemente dosando forças para evitar que faltasse gás na parte final do jogo. Quem não entrou nesse esquema foi Cuadrado, incansável tanto na marcação quanto no ataque e responsável pela primeira chance de gol. Ao receber na direita, porém, ele chutou mal, para fora. A escapada foi um breve lampejo colombiano em meio ao domínio chileno.

Depois de mais um bom lance pela esquerda, o time de Reinaldo Rueda abriu o placar mais uma vez aos 25 minutos, quando Vidal aproveitou sobra na área e bateu cruzado. Assim como no primeiro tempo, porém, o VAR viu uma irregularidade: Maripan, que dominou a bola antes do chute, deixou a redonda bater no seu braço. O duelo seguiu 0 a 0, com os treinadores acionando o banco de reservas em busca de mudanças.

O jogo ganhou contornos mais tensos devido à falta de gols. Muito superior, o Chile tratou de não se descuidar na defesa e, mesmo com as entradas de Cardona e Zapata na Colômbia, deixou Arias com o uniforme limpo na Arena. A equipe, no entanto, só conseguiu levar perigo outra vez no que seria um golaço de Alexis Sánchez, que tentou encobrir Ospina e viu o colombiano se recuperar a tempo. A decisão, então, ficou para os pênaltis.

FICHA TÉCNICA

COLÔMBIA 0 (4) x (5) 0 CHILE

Árbitro: Nestor Pitana (ARG)

Assistentes: Hernan Maidana (ARG) e Juan P. Belatti (ARG)

VAR: Fernando Rapallini (ARG)

Público: 41.692 pagantes

Renda: R$ 8.971.600,00

Cartões amarelos: Medina, Cuadrado, James Rodríguez (Colômbia); Aránguiz, Vidal (Chile)

Pênaltis:

COLÔMBIA: James Rodríguez, Cardona, Cuadrado, Mina,

CHILE: Vidal, Vargas, Pulgar, Aránguiz, Alexis Sánchez

COLÔMBIA: Ospina; Medina, Mina, Davinson Sánchez e Tesillo; Barrios, Uribe (Cardona) e Cuadrado; James Rodríguez, Falcao Garcia (Zapata) e Martínez (Luis Díaz)

Técnico: Carlos Queiroz

CHILE: Arias; Isla, Medel, Maripán e Beausejour; Pulgar, Aránguiz e Vidal; Fuenzalida (Pavez), Vargas e Alexis Sánchez

Técnico: Reinaldo Rueda.



Paulo Rogério

I live in Brazil, in the city of Manaus, which hosted 2014 World Cup matches, the Olympic 2016 men's and women's football tournament. I'm Paulo Rogério Veiga, 51, a reporter, journalist and owner of sports portal www.sportsmanaus.com.br. I would like to inform you that I have received material from FIFA for 35 years, in addition to Conmebol and UEFA. I have also been editor of globoesporte.globo.com/am/ portal. I am working as a press and publicity advisor to leverage your company, product, brand, your soccer career, whether player, coach, club, manager, any professional that Works and conducts business in football. I am a professional / base player agent and a soccer coach. I have contact with agents, international agencies, academies, intermediaries, scoutings, among others in Brazil and in world football, including with signed contract. Another work I do is to attract potential investors to sponsor clubs in Brazilian football, which seek to gain their place in the regional, national and even international scenario. Contact us. E-mail: paulo.imprensa@hotmail.com pauloimprensa@gmail.com Contact: +55 (092) 3629-0651 (office) +55 (092) 99171-9226 (live / watsapp). Leia mais em sobre o editor clicando aqui.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.