full screen background image

Em jogo dramático, com pênalti duvidoso e defendido, Nacional vence Penarol pelo Amazonense

347

Em clima de decisão, Nacional e Penarol fizeram um jogo repleto de muitas emoções como pênalti duvidoso e defendido, expulsões, nervosismo, gols perdidos, segunda rodada do segundo turno, do Campeonato Amazonense, na tarde deste domingo, 11/3, no Estádio Carlos Zamith, Zona Leste da cidade. O Penarol saiu na frente com Charles, enquanto Paulo Roberto e Guigui marcaram para o Nacional.

No final, o Naça venceu de virada o Leão da Velha por 2 a 1, e saiu da zona de rebaixamento na classificação geral, agora ocupando a quarta colocação, com oito pontos. No returno, depois da derrota na estreia, saiu da última colocação do grupo A, ficando em terceiro, com três pontos. Já o Penarol, perdeu a liderança na classificação geral para o Princesa, ficando em segundo, com 11 pontos. No grupo A, está em último, com apenas um ponto.

Pela terceira rodada do returno, o Nacional enfrenta o Princesa, no sábado, 17/3, às 16h (17h de Brasília), no Estádio Carlos Zamith, Zona Leste. O Penarol em situação difícil no returno vai encarar o CDC Manicoré, no domingo, 18/3, às 16h (17h de Brasília), no Estádio Floro de Mendonça, na cidade de Itacotiara (a 176 km da capital).

Treinador do Nacional disse que os resultados não acontecem do dia para outro (crédito: Paulo Rogério)

Depois de resultado conquistado, o treinador do Nacional, explicou ao SPORTSMANAUS, a importância para o clube e a torcida, mas lembrou o pouco tempo de trabalho na frente do elenco. Segundo ele, nada se conquista de forma imediata.

– Foi um jogo legal, nervoso, tenso, mas o Nacional está fazendo uma remodelagem no seu trabalho no meio da competição, que é curto. Não é como ano passado, que tinha tempo de errar e corrigir, porque era longo. Agora é curta, por causa da Copa do Mundo, e a exigência se torna grande na medida que se vai corrigindo aos poucos e as pessoas querem perfeição. Por exemplo, o Barcelona levou 10 anos para montar o time que ele fez, desde da base até lá em cima. Aqui tem que montar o time para fazer o melhor do mundo em cinco dias, é impossível isso – alertou.

Oscilando entre titular e reserva, o zagueiro Guigui, revelado na base do clube, mas campeão pelo Fast em 2016, não continha sua felicidade ao marcar o gol da vitória. Para ele, tudo é resultado de muito trabalho fora de campo.

Em sua estreia no Penarol, técnico mostra sua revolta contra a arbitragem (crédito: Paulo Rogério)

– Por toda dificuldade que passei, e que passo ainda. Tive toda minha base no Nacional, mas é uma alegria enorme fazer o gol e sair com uma vitória. O grupo todo se empenhou, se dedicou a semana toda. Sempre fui otimista desde quando subi para o profissional, sempre procurei meu espaço. Quando o treinador me dá essa oportunidade, procuro fazer o melhor.

No lugar de Carlos Tozzi, que pediu para sair, o técnico Zé Carlos fez sua estreia no comando do Penarol, mas não poupou críticas ao árbitro da partida. Visivelmente revoltado, ele disse que a arbitragem usou critérios diferentes na condução da partida.

– Infelizmente, nossos jogadores foram minados com cartão amarelo. As faltas ao nosso favor, o arbitro investia. Toda falta que meu jogador fazia, ele dava cartão amarelo, já os jogadores do Nacional que batia por trás e parava a jogada, ele só conversava. Ele marcou um pênalti, pelo amor de Deus, não é aqui em Manaus e nem em outro lugar do Brasil, mas aqui foi. Será que só porque foi a favor do Nacional? Paciência, porque o time tem que ganhar dentro de campo – disse irritado.

Jogo

No primeiro ataque do Penarol, já deixou o seu cartão de visita. Aos 10 minutos, falta pela esquerda na grande área, o goleiro Marcelo Valverde bateu roupa e na sobra Charles fez, 1 a 0.

Dois minutos depois, o Naça perdeu a chance de empatar. Fininho cobra falta pela esquerda, o goleiro da rebote e na sobra Alexsandro perde o gol de frente para o goleiro.

Aos 20 minutos, Balu pela direita avança e toca para Balotelli que chuta de frente para o gol, mas a bola bate na defesa e tira o perigo de gol. Depois do gol, o Penarol recuou e ficou esperando o adversário, que tocava a bola, mas não conseguia chegar com mais eficiência ao ataque.

Aos 34 minutos, Alexandro tenta a jogada e é derrubado em frente da área. Na cobrança, Fininho as apresenta e cobra no canto direito do gol, mas o goleiro defende. Aos 36 minutos, o Penarol faz uma boa jogada no ataque, com Branco para Railson chutar com perigo por cima da meta.

Aos 49 minutos, contra-ataque do Nacional pelo meio com Balotelli, que toca para Paulo Roberto na direita avançar e chutar no canto direito para empatar, 1 a 1.

Branco tenta a jogada pelo Penarol, mas ao fundo o árbitro que recebeu severas criticas do treinador (crédito: Paulo Rogério)

O segundo tempo já começou eletrizante. Com apenas um minuto, o Naça chegou com perigo. Glaybson cobra lateral pela direita na grande área para Balotelli, que toca para Walace Gladiador dominar e chutar fraco ao gol.

Aos 17 minutos, lançamento para Paulo Roberto que tenta o drible em cima de Pastor e é derrubado, o árbitro Weden Cardoso marca pênalti.  Depois de muito bate-boca e discussões, aos 19 minutos, Glaybson vai para cobrança e chuta no canto direito, mas Raisce defende.

Apesar do pênalti pedido, o Naça continuou em cima do Penarol em busca do segundo gol. Já o Leão da Velha Serpa recuado, esperava o momento certo para sair nos contra-ataque, mas não conseguia chegar com muito perigo.

Aos 33 minutos, depois de uma empurrão de Carlos Felipe, do Nacional em cima de Leozinho, do Penarol, houve uma pequena confusão entre os jogadores e os dois acabaram sendo expulsos.

Aos 45 minutos, o Nacional tenta a jogada com Walace, mas sofre falta da zaga adversária. Um minuto depois, Adonias cobra a falta frontal, mas em cima do goleiro. Aos 47 minutos, tiro de canto pela direita por Paulo Roberto, que tocou para trás e Balu cruza na grande área para encontrar Guigui cabecear sem perdão, 2 a 1.

Ficha técnica:  

Jogo: Nacional 2×1 Penarol

Motivo: Campeonato Amazonense Série A /2º turno /2ª rodada  

Local: Estádio Carlos Zamith

Horário: 15h30

Árbitro: Weden Cardoso Gomes

Árbitros assistentes: Ivo Fernando da Costa e José Luís de Oliveira Ramos

Renda: R$ 6.130,00

Público pagante: 546

Nacional: Marcelo Valverde, Pedro Balu, Jefferson Siqueira, Guigui, Glaybson (Carlos Felipe), Bae, Michel, Alexsandro (Walace Gladiador), Fininho (Adonias), Balotelli e Paulo Roberto.  Técnico: Arthur Bernardes.

Penarol: Raisce, Antony, Ferrugem, Pastor, Gelvane, Ivanzinho, Jeferson, Leozinho, Railson, Branco (Jardel) e Charles (Ronivaldo).  Técnico: Zé Carlos.



Paulo Rogério/sportsmanaus@gmail.com

I live in Brazil, in the city of Manaus, which hosted 2014 World Cup matches, the Olympic 2016 men's and women's football tournament. I'm Paulo Rogério Veiga, 51, a reporter, journalist and owner of sports portal www.sportsmanaus.com.br. I would like to inform you that I have received material from FIFA for 35 years, in addition to Conmebol and UEFA. I have also been editor of globoesporte.globo.com/am/ portal. I am working as a press and publicity advisor to leverage your company, product, brand, your soccer career, whether player, coach, club, manager, any professional that Works and conducts business in football. I am a professional / base player agent and a soccer coach. I have contact with agents, international agencies, academies, intermediaries, scoutings, among others in Brazil and in world football, including with signed contract. Another work I do is to attract potential investors to sponsor clubs in Brazilian football, which seek to gain their place in the regional, national and even international scenario. Contact us. E-mail: paulo.imprensa@hotmail.com / pauloimprensa@gmail.com Contact: +55 (092) 3629-0651 (office) / +55 (092) 99171-9226 (live / watsapp). Leia mais em sobre o editor clicando aqui.