full screen background image

EXCLUSIVO: Com passagem por Fast e Naça, de Seul Júnior Negão conta sua história no futebol

581

Com passagem pelas categorias básicas do Fast Clube e Nacional, Gleidionor Figueiredo Pinto Júnior, de 31 anos, saiu da Bahia aos oito meses de vida para vencer no futebol amazonense e também no futsal, nas equipes do Dom Bosco e Ulbra. Hoje, o atacante Júnior Negão, depois que saiu de Manaus foi jogar em grandes clubes do futebol brasileiro como Corinthians, Atlético-MG, Figueirense, Guarani, entre outros clubes. No futebol mundial, ele jogou no Belenenses, de Portugal, GBA, da Bélgica, Lusanne, na Suíca, além das equipes do Muangthong e Pattaya, da Tailândia. Ainda na Ásia, hoje na Coréia do Sul, o jogador atuou primeiro no Daegu e atualmente defende as cores do Ulsan.

De Seul, capital da Coréia do Sul, com EXCLUSIVIDADE para o SPORTSMANAUS, Júnior Negão destaca sua trajetória no futebol amazonense, curiosidades, seu primeiro contrato no profissional, as dificuldades, a diferença de jogar em três continentes diferentes, enfim, sua história até agora no futebol.  

SPORTSMANAUS – Você passou pela base do Fast Clube, sendo várias vezes campeão e depois pelo Nacional. A sua passagem no Tricolor de Aço foi importante para alavancar seu nome no futebol?

JÚNIOR NEGÃO – Com certeza, ajudou muito a alavancar meu início no futebol amazonense. O Fast é um grande clube no futebol local, principalmente na categoria de base.

SPORTSMANAUS – Como foi assinar seu contrato profissional no Nacional, após sair do Fast. Qual foi sua sensação naquele momento?

Júnior Negão na época em que jogou pelo Corinthians (crédito: arquivo pessoal)

JÚNIOR NEGÃO – Na verdade foi muito confuso na época, porque ainda estava indeciso do que realmente queria. Se seguiria a carreira como atleta ou continuaria minha faculdade de direito, mas logo no primeiro ano descobri que tinha feito a escolha certa. Digo que foi o futebol, que me escolheu, e não o contrário.

SPORTSMANAUS – Você participou com Nacional da Copa São Paulo em 2006, quando o clube se destacou na vitória com Atlético-MG. Depois disso, o time mineiro o contratou. Como foi sair de Manaus e integrar o elenco do Galo?

JÚNIOR NEGÃO – Aquela Copa São Paulo foi muito especial para mim, porque foi onde decidi seguir carreira fora do estado e fizemos um grande jogo contra o Atlético. Depois de um ano, eu estava integrado ao elenco profissional de um dos maiores clubes do Brasil. Imagina eu com 20 anos, sem nenhuma experiência fora do Amazonas. Mesmo sem jogar, foi muito bom para minha carreira, porque aprendi muita coisa, adquiri muita experiência e de quebra conquistei meu primeiro título estadual no profissional.

SPORTSMANAUS – Quando assinou com Atlético-MG você estava fazendo a faculdade de direito, mas optou por seguir no futebol. Como foi esse momento decisivo?

JÚNIOR NEGÃO – Na verdade, quando assinei com o Atlético, eu já tinha decidido seguir com o futebol, mas tentei levar os dois o máximo possível, mas quando assinei com o Atlético-MG, percebi que teria de deixar a faculdade para um outro momento da minha vida.

SPORTSMANAUS – Você passou por vários clubes do futebol brasileiro, com destaque no Corinthians, Figueirense e Guarani. Como foi sua passagem nessas equipes e o que faltou para você emplacar?

Jogador passou pelo futebol europeu antes de chegar na Ásia (crédito: arquivo pessoal)

JÚNIOR NEGÃO – Minha passagem em todos os clubes brasileiros serviu para eu aprender mais sobre o futebol brasileiro e compartilhar experiências, na qual me ajudou até hoje. O futebol brasileiro é o melhor e mais competitivo do mundo, porém, em alguns deles não tive a oportunidade de jogar muito, mas em outros pude jogar e conquistar títulos. Tudo isso serviu como experiência para você aprender. As vezes na derrota ou fracasso você aprende muito mais do que na vitória, ou seja, em todos os momentos da minha carreira, procurei crescer como profissional e absorver só as coisas boas.

SPORTSMANAUS – Fora do país, você jogou em Portugal, Bélgica e Suíça. Como foi essa experiência e qual foi o país mais difícil que jogou?

JÚNIOR NEGÃO – Todas as experiências fora do Brasil foram muito boas, mas sem dúvida a mais difícil foi em Portugal. Apesar de ser a mesma língua, era a minha primeira experiência fora do Brasil com 21 anos. Senti bastante essa mudança, mas aprendi demais, pois isso me ajudou muito na minha segunda experiência na Europa, que foi a Bélgica, onde eu estava mais maduro e fui muito feliz, fazendo uma ótima temporada no final.

SPORTSMANAUS – Você está algum tempo no futebol asiático, mas como analisa o nível técnico e o futebol do continente?

JÚNIOR NEGÃO – O nível técnico na Ásia vem crescendo muito, os clubes asiáticos têm investido pesado para serem reconhecidos no futebol mundial. Não é à toa, que muitos técnicos e formadores de jogadores estão vindo trabalhar na Ásia, porque eles estão investindo também na formação de atletas, e isso leva tempo para ter resultado. Não tenho dúvida, que o futebol asiático vai crescer muito nos próximos anos.

SPORTSMANAUS – Fale um pouco do seu atual clube na Coréia do Sul e do seu momento no campeonato?

JÚNIOR NEGÃO – Atualmente estou no Ulsan Hyundai da primeira divisão da Coreia do Sul. Estou numa fase muito boa na minha nova equipe, onde acabamos de nos classificar para as oitavas de final da Champions League Asiática. Espero conquistar grandes títulos esse ano. Estou no meu segundo ano na Coreia do Sul e, me sinto muito bem adaptado aqui, minha família também está muito bem adaptada e isso me ajuda muito.

Atualmente, Júnior Negão defende a equipe do Ulsan na Coréia do Sul (crédito: arquivo pessoal)

SPORTSMANAUS – Você jogou no futebol europeu, agora está no asiático e começou sua carreira no futebol brasileiro. Pode analisar os três continentes em que jogou e suas particularidades?

JÚNIOR NEGÃO – Anos atrás a diferença entre os três era enorme. No Brasil, se priorizava a qualidade técnica, na Europa e Ásia era a força física, mas o futebol mundial tem ficado cada vez mais parecido. Claro, que o futebol brasileiro ainda se destaca muito pela qualidade dos jogadores, porém o europeu e asiático também têm melhorado sua qualidade técnica, mas não podemos negar que hoje, se prioriza muito a força física no futebol mundial.

SPORTSMANAUS – Na sua opinião, os jogadores de base do futebol amazonense são poucos aproveitados, valorizados ou ainda falta muito para competir com outros garotos fora do Estado?

JÚNIOR NEGÃO – Para ser bem sincero, não tenho acompanhado muito as categorias de base do futebol amazonense, mas a única maneira de você fazer com que um clube gere renda é investindo na sua categoria de base. Isso conta em dar oportunidades para jogadores formados no clube, porque são eles o patrimônio do clube, mas para dar a chance primeiro precisa prepara-los nesse sentido. Isso é unanimidade, no futebol mundial, o time que investe e valoriza na categoria de base, tende a formar bons jogadores.

SPORTSMANAUS – Você espera algum dia voltar para o futebol amazonense ou é algo que não passa pela sua cabeça?

JÚNIOR NEGÃO – Eu tenho planos de voltar sim ao futebol amazonense. Quero ajudar de alguma forma de fazer o futebol amazonense crescer cada vez mais. Agora ainda não sei se vou ajudar dentro ou fora de campo.

SPORTSMANAUS – Você acredita que o jogador local para ser respeitado precisa jogar fora do Amazonas, do país ou não precisa disso?

JÚNIOR NEGÃO – O Delmo é um dos jogadores amazonenses mais respeitados e quase não jogou fora do estado, Claro, quem busca melhorar como atleta precisa ir para o centro do futebol brasileiro, jogar campeonatos mais competitivos, buscar desafios maiores. Não é questão de ser respeitado ou não, mas é uma questão de melhorar, buscar o melhor sempre.



Paulo Rogério/sportsmanaus@gmail.com

I live in Brazil, in the city of Manaus, which hosted 2014 World Cup matches, the Olympic 2016 men's and women's football tournament. I'm Paulo Rogério Veiga, 51, a reporter, journalist and owner of sports portal www.sportsmanaus.com.br. I would like to inform you that I have received material from FIFA for 35 years, in addition to Conmebol and UEFA. I have also been editor of globoesporte.globo.com/am/ portal. I am working as a press and publicity advisor to leverage your company, product, brand, your soccer career, whether player, coach, club, manager, any professional that Works and conducts business in football. I am a professional / base player agent and a soccer coach. I have contact with agents, international agencies, academies, intermediaries, scoutings, among others in Brazil and in world football, including with signed contract. Another work I do is to attract potential investors to sponsor clubs in Brazilian football, which seek to gain their place in the regional, national and even international scenario. Contact us. E-mail: paulo.imprensa@hotmail.com / pauloimprensa@gmail.com Contact: +55 (092) 3629-0651 (office) / +55 (092) 99171-9226 (live / watsapp). Leia mais em sobre o editor clicando aqui.