SportsManaus
FUTEBOL AMAZONENSE

No clássico Pai e Filho, Nacional joga bem e vence Fast por 3 a 0 pelo Campeonato Amazonense

Depois do belo futebol contra a Ponte Preta, pela Copa do Brasil, apesar da eliminação e da folga do Carnaval, o Nacional recarregou as baterias e passeou diante do Fast Clube, na vitória por 3 a 0. Com resultado, o Naça subiu para terceira colocação, com cinco pontos, no grupo A, pelo Campeonato Amazonense. O jogo foi válido pela quarta rodada, na tarde deste sábado, 17/2, no Estádio Ismael Benigno, a Colina, Zona Oeste da cidade.

Os gols do Leão da Vila Municipal foram marcados por Fininho, Zé Antônio e Michel. Agora, o Nacional aguarda o resultados dos jogos deste domingo, 18/2, entre São Raimundo x Penarol, mas principalmente Rio Negro x CDC Manicoré para definição da última vaga na chave A, para entrar na fase final do primeiro turno.

Estreando no comando do Nacional, o treinador Arthur Bernardes, destacou ao SPORTSMANAUS, a evolução do time, mas resultado de muito esforço e trabalho para dar outra postura a equipe.

Treinador reconhece evolução, mas resultado de muito trabalho do grupo (crédito: Paulo Rogério)

– Nós temos que ter sabedoria para reconhecer que houve uma melhora, mas com muito sacrifício. Nós trabalhamos em tempo integral quase todos os dias. Isso mostra que os jogadores estão interessados, pois trouxemos novidades. Os jogadores tiveram humildade de aceitar as ideias e obediência tática. As vezes tem um time muito bom, mas no coletivo é ruim. Uma equipe tem que ter muito mais intelectual, do que com força

Na cobrança de pênalti, o meia Fininho marcou o primeiro gol na partida e o seu segundo no campeonato. Segundo o jogador, a vitória é resultado de muito esforço e entrega do elenco nos treinos, inclusive final semana.

– Foi uma vitória muito boa, para treinar no sábado e domingo de Carnaval. Ficamos felizes por todo esse esforço nós transferimos para dentro de campo, foi uma grande vitória. Era isso que esperava. Acredito que esse é o Nacional que a imprensa e o torcedor está acostumado a ver o time que briga e joga. Graças a Deus nós entendemos e conseguimos fazer uma boa partida.

O volante Roberto Dinamite, afirmou que o Fast pecou e errou durante a partida. Para ele, isso foi crucial para a derrota, pois em campo não cabe qualquer vacilo, ainda mais em um clássico.

Fininho ressaltou os treinos realizados durante o Carnaval (crédito: Paulo Rogério)

– O futebol ele nos cobra, tivemos as oportunidades para fazer o gol, infelizmente não fizemos. O Nacional com duas bolas paradas, conseguiu abrir o placar, colocar dois a o de vantagem. Infelizmente, nosso time sentiu o gol, e não conseguimos mais produzir como vínhamos fazendo. O Nacional foi superior, mas perdemos na hora que tínhamos de perder – disse.    

O Nacional começou bem o jogo, e logo no início mostrando de cara, que o único resultado seria a vitória. A equipe azulina dominou a partida em campo, enquanto o Fast não conseguia chegar próximo da meta, quando conseguia, não levava muito perigo.

Aos 15 minutos, o Naça ataca pela direita com Pedro Balu, mas é derrubado pela zaga fastiana. O árbitro Antônio Carlos Pequeno Frutuoso marca pênalti. Na cobrança, Fininho com categoria bate no canto direito para fazer, 1 a 0.

Aos 24 minutos, nova investida pelo Nacional, agora pela esquerda com Boca fazendo o cruzamento rasteiro na grande área, mas Cristiano chega atrasado e perde a chance de marcar.

Depois de sofrer alguns lances de perigo, o Fast chegou com perigo. Aos 33 minutos, Pimenta recebe o lançamento no contra-ataque e chuta frontal ao gol, o goleiro defende e na sobra o próprio jogador no rebote é derrubado pelo zagueiro Zé Antônio, o árbitro marca pênalti. Um minuto depois, Pimenta se apresenta para cobrança e chuta no canto direito, mas o goleiro Marcelo Valverde defende e evita o empate.

O Nacional (azul) foi absoluto dentro de campo no clássico Pai e Filho (crédito: Paulo Rogério)

O Tricolor de Aço buscava nas jogadas rápidas de contra-ataque o primeiro gol. Aos 39 minutos, Jamesson cruza pela direita e Pimenta de cabeça colocou no canto, mas o goleiro defendeu e evitou mais uma vez o empate. Aos 44 minutos, pela esquerda Cristiano toca na grande área para Alexsandro, que bateu no lado esquerdo, mas o goleiro do Tricolor de Aço práticou a defesa.

Mal começou o segundo tempo, e quase o Naça ampliou o marcador. Cristiano toca para Paulo Roberto na esquerda e sem ângulo tenta marcar o gol, enquanto Alexsandro sozinho na área pedia a bola.  Aos 11 minutos, o Fast teve a chance mais uma vez do empate. O venezuelano Navarrro pelo meio de campo toca e deixa sozinho Jhorman na cara do gol para chutar em cima do goleiro.

Aos 13 minutos, jogada na entrada da área por Alexsandro, que passa pelo zagueiro e sofre falta. Na cobrança, o zagueiro Zé Antônio cobra com perfeição no canto direito e amplia para o Naça, 2 a 0. Com dois no placar, o Leão da Vila Municipal ditou o ritmo da partida.

Já no final veio o gol para fechar o marcador. Aos 40 minutos, Michel toca para Paulo Roberto pela direita que entra sozinho e na saída do goleiro do Fast chuta no canto esquerdo, 3 a 0 para o Nacional.

Ficha técnica:

Jogo: Fast Clube 0x3 Nacional

Motivo: Campeonato Amazonense / 1º turno / 4ª rodada

Local: Estádio Ismael Benigno, a Colina

Horário: 15h

Renda: R$ 4.140,00

Público pagante: 382

Árbitro: Antônio Carlos Pequeno Frutuoso

Árbitros assistentes: Luís Claudio Rodrigues da Costa e Jeová Rodrigues dos Santos

Fast Clube: Labilá, Jamesson, Carlinhos Rocha, Alex Piauí, Joel Clara, Navarro, Dinamite, Edicleber, Júnior Canhoto, Pimenta (Claudiney) e Vitinho (Jhorman). Técnico: Paulo Morgado.

Nacional: Marcelo Valverde, Pedro Balu, Guigui, Zé Antônio, Boca, Baé, Delciney, Alexsandro (Bianor), Fininho (Michel), Cristiano (Willian) e Paulo Roberto. Técnico: Arthur Bernardes.

Outras postagens...

Escola do Santos Meninos da Vila Manaus goleia São Raimundo e segue invicto no Amazonense Sub-13

Paulo Rogério

Para reduzir custos e manter grupo unido, Paulo Morgado aprova pré-temporada do Fast-AM na Venezuela

Paulo Rogério

EXCLUSIVO: com campanha quase iguais, técnico do Brusque-SC afirma equilíbrio com Manaus na primeira final da Série D

Paulo Rogério

Leave a Comment

العربية简体中文EnglishFrançaisDeutsch日本語PortuguêsEspañol