Sob forte chuva, Fast vence Nacional por 2 a 0 e assume a liderança do Campeonato Amazonense

311

Depois do tropeço na última rodada quando perdeu para o Sul América, o Fast Clube venceu o Nacional por 2 a 0, no tradicional clássico Pai e Filho. Com a vitória, o Tricolor de Aço assumiu a liderança do Campeonato Amazonense da Série A, com 10 pontos, passando seu arquirrival e ainda o Princesa, que antes liderava, mas agora é o segundo com nove pontos. A partida abriu a quinta rodada, na tarde deste sábado, 23/2, na Arena da Amazônia, em Manaus. Os gols do Fast foram assinalados por Willian Sarôa na cobrança de pênalti e Robinho.

Pela penúltima rodada do primeiro turno, o Fast Clube terá pela frente um confronto direto pela ponta da tabela. O Rolo Compressor enfrenta o Princesa do Solimões, na quarta-feira, 27/2, às 18h, no estádio Ismael Benigno, a Colina, zona Oeste. Já o Nacional pode ser recuperar diante do Iranduba da Amazônia, também na quarta-feira, às 20h, na Arena da Amazônia.

Com poucos dias no comando do Fast, Vladimir de Jesus, depois de sua estreia com derrota, conseguiu sua primeira vitória e diante de um grande rival. Para ele, mesmo com a vantagem no placar e o adversário com dois jogadores a menos, não havia a necessidade de sair totalmente ao ataque.

– Não precisávamos mais acelerar com placar de 2 a 0, porque temos um jogo difícil na quarta-feira, contra o Princesa. Já tínhamos uma vantagem no placar, mesmo estando com dois a mais, com uma chuva forte e campo pesado, pois o campeonato é longo e tem outros jogos. O torcedor as vezes não entende, ele quer um, dois, quatro e até cinco gols, mas nós precisávamos dos três pontos para apagar a má impressão na derrota contra o Sul América. Eu respeito o torcedor, ele tem direito, é um clássico, tem rivalidade, ele quer goleada, mas nós queríamos e conseguimos os três pontos.

Autor do primeiro gol do Fast na cobrança de pênalti, Willian Sarôa, afirmou ao SportsManaus, que apesar de toda vantagem numérica, seja no placar e dentro de campo com adversário com dois jogadores a menos, o time obedeceu a orientação do treinador para não se expor muito em busca de mais gols.

– A vitória foi muito importante, nós temos um jogo na quarta-feira e tínhamos dois jogadores a mais.  Temos que tentar descansar o time o máximo possível, porque não precisava agredir e agredir o adversário. Infelizmente, as vezes a torcida não entende e outras pessoas não entendem isso. Estamos vindos de uma maratona de jogos e o professor pediu para nós dosarmos o máximo possível, para que todos estivessem descansados para. 

Aderbal Lana lamentou as expulsões e pouco quis falar sobre o jogo (crédito: Paulo Rogério)

Mostrando um pouco de ironia, mas se limitando a comentar de forma mais profunda a partida, o técnico Aderbal Lana, afirmou que o Naça perdeu, mas poderia ter sido diferente, se não fosse as circunstancias da forte chuva e expulsões dos jogadores de sua equipe.

– A gente não pode avaliar, porque tem um tribunal aí que …. não vou falar nada ….. Bom, o jogo foi normal, o Fast ganhou, nós perdemos dois jogadores durante a partida, não tem justificativa, porque o jogo é jogado. O Fast fez dois gols e ganhou, não importa se foi regular ou irregular, ou se a expulsão realmente valeu, se o jogador merecia ter sido expulso, enfim, não adianta discutir a arbitragem no Amazonas. No início a chuva atrapalhou um pouco, mas depois veio as expulsões e ficou mais difícil ainda, mas futebol tem que ser bem apitado – finalizou.

Jogo

Debaixo de muita chuva, o tradicional clássico Pai e Filho teve que enfrentar a força da natureza. Em campo, as duas equipes iguais sem domínio de um lado ou de outro. Aos 15 minutos, pela direita Romarinho domina e chuta forte por cima da meta do goleiro do Fast. 

Robinho tenta a jogada, mas é barrado pelo zagueiro do Naça (crédito: Paulo Rogério)

Com gramado encharcado, o Tricolor de Aço abriu o marcador. Aos 19 minutos, falta pela direita na grande área, o goleiro rebate para frente da meta e Robinho chutou no canto direito, 1 a 0. Aos 23 minutos, a situação do Nacional ficou mais difícil ainda. Depois de segurar a camisa do adversário, o volante Felipe, que já tinha recebido amarelo, levou o segundo cartão e o vermelho, sendo expulso.

Aos 28 minutos, o árbitro de longe marca pênalti de Jordan em cima de Robinho do Fast, depois de uma arrancada elo lado esquerdo de ataque. Aos 29 minutos, Wilian Saroa cobra pênalti para ampliar, 2 a 0. Depois do gol sofrido, para ficar pior ainda, Fabinho no canto direito da bandeirinha, acerta o jogador sem bola e é expulso. 

Na volta do intervalo, devido à forte chuva, o trio de arbitragem fez uma vistoria no gramado da Arena da Amazônia e constatou que o jogo não tinha condições de recomeçar.
Depois do longo intervalo, aguardando o campo ficar em condições de jogo, a partida recomeçou com Nacional em desvantagem com dois no placar e em campo.

Aos 10 minutos, o Fast quase chega ao terceiro gol. Pela esquerda, Gelvane cruza rasteiro para encontrar Robinho, que chuta pela rede do lado de fora.  Com total vantagem, o Fast se limitou a tocar a bola no campo do adversário, que ficava esperando roubar para sair nos contra-ataques.

Aos 32 minutos, depois da parada técnica, a partida seguiu com a cobrança de falta pela meia direita com Gleidson, que bateu por cima da meta do goleiro do Fast.  Aos 39 minutos, contra-ataque pela esquerda do Fast com Walker, que tocou na entrada da grande área para Jhorman chutar, mas o goleiro André Regly defendeu e evitou mais um gol do Fast.

Ficha técnica:

Jogo: Fast Clube 2×0 Nacional 

Motivo: Campeonato Amazonense da Série A / 1º turno   / 5ª rodada 

Local: Arena da Amazônia – Manaus/AM

Horário: 15h

Renda: R$ 2.450,00

Público presente: 522  

Árbitro:  Freddy Rafael Lopes Fernandez

Árbitros assistentes: Anne Kesy Gomes de Sá Guimarães e Francisco Souza da Silva Filho

Gols: Robinho 19min 1ºt e Willian Sarôa 29min 2ºt (Fast Clube)

Advertências: Rafael Borges, Dinamite e Robinho (Fast) e Jordan, Felipe e Léo Mineiro (Nacional)

Expulsos: Felipe e Fabinho (Nacional)

Fast Clube: Roger Kath, Wagner Diniz, Guigui, Carlinhos Rocha, Gelvane, Rafael Bastos, Dinamite, Willian Saroa, Robinho, Ronan e Marciano. Técnico: Vladimir de Jesus.

Nacional: André Regly, Paulinho, Jordan, Deurick, Bernardo, Felipe, Paulo Brasília, Fabinho, Jonas (Léo Mineiro), Ray (Gleidson) e Romarinho. Técnico: Aderbal Lana.



Paulo Rogério

I live in Brazil, in the city of Manaus, which hosted 2014 World Cup matches, the Olympic 2016 men's and women's football tournament. I'm Paulo Rogério Veiga, 51, a reporter, journalist and owner of sports portal www.sportsmanaus.com.br. I would like to inform you that I have received material from FIFA for 35 years, in addition to Conmebol and UEFA. I have also been editor of globoesporte.globo.com/am/ portal. I am working as a press and publicity advisor to leverage your company, product, brand, your soccer career, whether player, coach, club, manager, any professional that Works and conducts business in football. I am a professional / base player agent and a soccer coach. I have contact with agents, international agencies, academies, intermediaries, scoutings, among others in Brazil and in world football, including with signed contract. Another work I do is to attract potential investors to sponsor clubs in Brazilian football, which seek to gain their place in the regional, national and even international scenario. Contact us. E-mail: paulo.imprensa@hotmail.com pauloimprensa@gmail.com Contact: +55 (092) 3629-0651 (office) +55 (092) 99171-9226 (live / watsapp). Leia mais em sobre o editor clicando aqui.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.