SportsManaus
FUTEBOL AMAZONENSE

Após 20 anos, Bonamigo retorna para estrear no comando do Remo contra o Manaus e diz: “A vitória é importante”

Foto: Samara Miranda/Ascom Remo

Há cinco jogos sem vencer e ocupando a quinta colocação no grupo A, com 10 pontos, o Remo enfrenta o Manaus, buscando sua terceira vitória no Campeonato Brasileiro da Série C e entrar no G4. A partida pela 8ª rodada, será neste domingo, 27/9, às 17h (18h de Brasília), no Estádio Mangueirão, em Belém.  

Após 20 anos longe do clube, o técnico Paulo Bonamigo, retorna ao comando do Leão Azul para reverter a atual situação do time nesse momento da competição. Para ele, conquistar um bom resultado é primordial.

Novo treinador disse que o grupo é muito equilibrado (Foto: Samara Miranda/Ascom Remo)

– A vitória é importante, mas hoje o fator local não está fazendo muito diferença, porque nesses tempos modernos sem torcida é praticamente um campo neutro, ou seja, algo que realmente não vai pesar nesse momento. Esperamos que a equipe esteja bem organizada dentro do que trabalhamos na semana, assim como, bem determinada e confiante de fazer um bom jogo – comentou ao SPORTS MANAUS.

Apesar do momento difícil do Gavião do Norte na tabela, Paulo Bonamigo, não espera que seja um jogo fácil ou algo parecido. Ele lembrou que o grupo apresenta até agora um equilíbrio bem notório entre as equipes com os resultados obtidos em campo.

– O grupo é muito equilibrado com muitos resultados iguais, poucos gols, as equipes estão se estruturando depois da pandemia, onde houve um prejuízo técnico e financeiro para todos. O próprio Remo está procurando ajustes dentro de sua equipe. O crescimento vai ser gradativo, onde as dificuldades do jogo vão ser muito grande em função da necessidade de ambos pontuar. Espero nossa equipe estar mais concentrada e competente para conseguir a vitória – completou, mas se diz preparado para assumir o Remo nesse momento difícil.

– Muitos treinadores assumem situações no meio do campeonato. O mais importante é recuperar a condição de níveis de confiança do grupo, como a parte mental, de colocar as ideias e conceitos. É muito cedo ainda, mas em uma semana a gente consegue implementar algo. Nosso grupo está muito competitivo e a diferença do primeiro para o sexto colocado é de cinco e quatro pontos. A competição ainda está aberta e vamos tentar crescer dentro do campeonato – justificou o novo comandante do Leão Azul.

Sobre seu retorno ao Remo, o treinador afirmou que foram duas décadas longe do clube, mas agora tem a oportunidade de realizar outro trabalho e ajudar para conseguir o tão sonhado acesso à Série B do ano que vem.

– Em primeiro lugar estou muito feliz, porque em 2000 participei de uma história vencedora do Remo na Copa João Havelange e aprendi a conhecer a força da torcida ao clube e passei a ter um sentimento também. A gente é profissional, claro, mas as vezes somos tão bem recebido e tratado que acaba surgindo um carinho especial. O Remo me marcou muito e retorno agora com toda essa felicidade nesse momento que tenho a possibilidade de ajudar. Em 2000 estava no início da minha carreira e espero sair e ter uma nova história, mas bem construída – contou.