SportsManaus
FUTEBOL AMAZONENSE

Campeão estadual pelo Fast, Spice retorna para Série D e diz: “Sou pé quente”

Logo que chegou na capital amazonense, o zagueiro Spice vestiu a camisa do Fast Clube e foi campeão amazonense de 2016, quebrando um tabu de mais de 40 anos do Tricolor de Aço, sem conquistar o título regional. Anunciado recentemente, o jogador agora retorna por empréstimo do Manaus, que disputa à Série C, para segunda fase do Campeonato Brasileiro da Série D, quando inicia o temido mata-mata. No primeiro jogo do Fast, a equipe tem pela frente o Moto Club, no domingo, 6/11, às 14h30 (15h30 de Brasília), no Estádio Castelão, em São Luís.

Com a experiência de ter vivido o acesso ano passado com o Manaus, Spice, chega motivado e com vontade de ajudar o Fast na caminhada a tão sonhada vaga na terceira divisão de 2021. Segundo ele, também traz consigo muita esperança para conseguir a classificação.

– Não somente ter esse ‘pé quente’ pelo acesso, mas fui campeão pelo Fast em 2016, quando o clube ficou mais de 40 anos sem vencer o estadual, pois cheguei no ano em que o time foi campeão. Tenho essa fama de pé quente dentro do clube, mesmo com essa experiência do título estadual – afirmou ao SPORTS MANAUS, mas sabe que todos vão exigir muito dele em campo, devido sua vivencia no cenário nacional.

– As cobranças vão existir e são naturais, mas estou tranquilo. Venho para somar com a equipe, em busca do acesso, porque é nosso sonho agora. Vivo agora isso em busca desse objetivo, e se Deus quiser, vamos ter dois times na Série C ano que vem. Seria uma boa para o futebol amazonense como um todo.

Com pouco tempo no elenco do Rolo Compressor, o zagueiro sabe que terá que se desdobrar para se adaptar o mais rápido possível em sua nova equipe. De acordo com ele, isso não será um problema, pois vai usar de toda sua experiencia nesse momento.

– Um pouco de entrosamento vai faltar, porque vai ser a primeira semana, mas isso no decorrer da semana vamos ganhando um pouco mais e vou observar como é o trabalho do professor Lecheva. Sei o que tenho de fazer dentro de campo, pois a minha função não é tão difícil assim e não vai mudar tanto. Não sei se vou chegar para jogar. Estou aqui para ajudar, independente se sair jogando ou ficar no banco da equipe – destacou Spice.

 

Outras postagens...

“Vamos procurar se impor”, avisa técnico do Ypiranga-RS, em jogo decisivo pela Série C em casa com Manaus

Paulo Rogério

Apesar de jogar em casa com Nacional, técnico do Paysandu não considera favorito na Copa Verde

Paulo Rogério

Com falha na zaga, bolas na trave e gols perdidos, Fast-AM empata com Ypiranga-AP na estreia pela Série D

Paulo Rogério

Leave a Comment

Este site usa cookies. Isto é necessário para que sua navegação seja mais eficiente. Não coletamos nenhum dado pessoal do seu navegador. Entendi! Leia mais...