SportsManaus
FUTEBOL AMAZONENSE

Para retornar a liderança contra o Rio Branco-AC, técnico Lecheva diz: “O Fast já tem o DNA de ser uma equipe ofensiva”

Na penúltima rodada da fase classificatória do Campeonato Brasileiro da Série D, o Fast Clube tem um jogo decisivo e chave pela liderança do grupo 1, neste domingo, 22/11, às 17h (18h de Brasília), na Arena Acreana. O Tricolor de Aço, em segundo com 22 pontos, enfrenta o Rio Branco-AC, quarto colocado, com 21 pontos, fora de casa, que também luta pelo primeiro lugar. Com a goleada do Galvez-AC diante do Independente por 7 a 1, o time acriano assumiu a liderança, com 23 pontos.

Para retorna a liderança, o Fast Clube precisa vencer para assumir novamente o primeiro lugar, já que o Galvez agora é o novo líder. Para o técnico Lecheva, a equipe sempre joga buscando o resultado positivo, seja dentro ou fora de casa.

– A gente sempre busca trabalhar com o pensamento voltado para esses grandes resultados, que são as vitórias, independentemente de onde quer que a gente jogue. Sabemos que garantimos a classificação, não temos ainda a primeira colocação garantida e vamos lutar por isso. Sabemos que isso é fundamental nesse jogo contra o Rio Branco, que também postula fechar a chave de classificação como líder. Vamos em busca da vitória, como fazemos sempre em todos os jogos, mas é claro que temos a consciência que um empate nesse jogo, por fecharmos em casa a última rodada, não é um resultado ruim – explicou ao SPORTS MANAUS.

Apesar de jogar em seus domínios e a chance de assumir a primeira colocação, Lecheva, não acredita que o Estrelão vai entrar em campo sob pressão. Segundo o comandante do Tricolor de Aço, com a classificação garantida, o jogo deve fluir naturalmente entre ambas as equipes.

– Não vejo como uma pressão grande para o Rio Branco, mas é uma oportunidade de eles assumirem a liderança, caso vençam e os jogos da rodada ajude também, porque não basta vencer somente, mas torcer para que o Bragantino não vença. É importante terminar com a melhor campanha possível, e isso se retrata entre os dois primeiros para no mata-mata ter a chance de estar decidindo em casa – completou, mas ainda lembrou.

– Do jogo de ida para esse de domingo muitas coisas mudaram, acho que principalmente a postura do Rio Branco naquela ocasião, onde o time veio altamente defensivo a Manaus. A tendência agora é que seja um jogo mais aberto, porque o Rio Branco já tem uma outra postura jogando em casa e até mesmo durante outros jogos da competição. O Fast já tem o DNA de ser uma equipe ofensiva e não vamos mudar isso. A tendência é que seja um jogo bem diferente do que foi no primeiro. No dia do jogo vai depender da postura das equipes, como os atletas vão estar no dia e o encaixe da partida, isso conta muito – completou Lecheva.

 

Outras postagens...

Visando a estreia na Copa SP, técnico do Nacional-AM destaca atividades extra campo com jogadores

Paulo Rogério

Com céu aberto e sem chuva, Amazonas vence Manauara e faz história com título inédito do Campeonato Amazonense

Paulo Rogério

“Há três anos não perdemos em casa na Série D”, disse técnico do São Raimundo-RR sobre jogo com Fast Clube

Paulo Rogério

Leave a Comment

Este site usa cookies. Isto é necessário para que sua navegação seja mais eficiente. Não coletamos nenhum dado pessoal do seu navegador. Entendi! Leia mais...