SportsManaus
FUTEBOL AMAZONENSE

Adversário do São Raimundo, técnico do Atlético-MG deseja chegar longe na Copa do Brasil sub-17

Foto: Bruno Cantini / Agência Galo / Atlético

Diferentemente do seu adversário sem competições oficiais, o Atlético-MG disputa o Campeonato Brasileiro sub-17, onde figura no grupo A, em 8º lugar, com cinco pontos. O Galo será o adversário do São Raimundo-AM, em jogo único da primeira fase da Copa do Brasil da categoria, no dia 25 de novembro, às 15h (16h de Brasília), no Estádio Ismael Benigno, a Colina, zona Oeste de Manaus. Caso o jogo termine empatado no tempo normal, a definição da vaga será definida na cobrança de pênaltis.

De Belo Horizonte, o técnico Lucas Batista Cerqueira de Melo, 34 anos, no comando da garotada do Atlético-MG, desde 2018, afirmou que o planejamento é levar o time nas fases finais da competição e até mesmo brigar pelo título.

Treinador do Galo acredita que será uma partida difícil (Foto: Bruno Cantini / Agência Galo / Atlético)

– A meta é sim chegar mais longe possível. A camisa do Atlético e a história pede isso e o tamanho do Atlético pede isso também. A meta é sim chegar o mais longe na Copa do Brasil. Claro, respeitando todos os adversários, passando fase por fase e confronto por confronto para chegar nas fases decisivas lá na frente – explicou o treinador ao SPORTS MANAUS.

Eliminado ano passado para o Carajás-PA nos pênaltis, Lucas Batista, afirmou que o futebol tem suas surpresas. Para ele, o foco é o confronto com o time amazonense, porém, em outra realidade nesse momento.

– São situações que acontecem no futebol mesmo, ainda mais em torneios mata-mata. O resultado pode vir ou não vir. É um prazer a gente do Atlético está indo a Manaus. Vai ser um grande jogo e é um adversário muito difícil. Tenho certeza, não foi à toa que eles se classificaram como campeão amazonense. A gente sabe que vai ser um confronto muito difícil e disputado. A gente espera chegar e fazer um grande jogo e sair da capital amazonense com a classificação – contou, mas lamentou o longo período sem atividades, porém, que vai ser superado com muito trabalho.

– Acredito que a pandemia prejudicou todos os clubes, não somente o Atlético, mas ficar sete meses sem jogar, sem competir e sem treinar prejudica muito a carreira do atleta. Na volta, temos um calendário bem apertado, com jogos às quartas e sábados. O Atlético tem uma tradição na base, revela muitos jogadores e no momento temos seis jogadores no time de transição. já no sub-17. Por exemplo, o Savio, é um atleta que já tem jogado com o Sampaoli no profissional. Isso é motivo de alegria para gente aqui no sub-17 – comemorou.

 

Outras postagens...

No grupo do Fast Clube-AM na Copa SP, técnico do Sfera-SP afirma: “Acelera o crescimento do nosso clube”

Paulo Rogério

Mesmo sem entrosamento, Manaus vence São Raimundo na abertura do Campeonato Amazonense

Paulo Rogério

Pela primeira vez na região Norte, novo técnico do Operário vai montar a equipe e confessa: “Será um desafio”

Paulo Rogério

Leave a Comment

Este site usa cookies. Isto é necessário para que sua navegação seja mais eficiente. Não coletamos nenhum dado pessoal do seu navegador. Entendi! Leia mais...