SportsManaus
FUTEBOL AMAZONENSE

“É inesquecível”, disse presidente do Brusque-SC sobre a final com Manaus pela Série D

Foto: Reprodução 

Campeão catarinense de 1992, o Brusque Futebol Clube está prestes a conquistar o título mais importante em 32 anos de história.  Depois de empatar no primeiro jogo da final do Brasileiro da Série D em 2 a 2 com Manaus, o Bruscão joga a partida de volta, neste domingo, 18/8, na Arena da Amazônia, palco da Copa do Mundo de 2014. Um simples empate a decisão será decidido na cobrança de penalidades, mas o vencedor no tempo normal leva o título histórico da Série D.

Há 11 anos no cargo, o presidente do Brusque, Danilo José Rezini, 65 anos, disse ao SportsManaus, que o clube vive um momento jamais visto antes em toda sua existência, pois é algo único e que ficará marcado para sempre.

– É um momento inédito e histórico na vida do clube, já fomos campeões catarinense em 1992, mas esse momento é o maior, o ápice onde o clube pode chegar, porque além de subir para Série C que era um sonho antigo, mas disputar uma final da Série D, é realmente um inesquecível. Está valendo a pena lutar para viver esses momentos felizes, de alegria e vitórias – completou,

Sobre as chances do Brusque de jogar a final da Série D fora de casa, o dirigente acredita no potencial de sua equipe, mas lamentou o empate no primeiro jogo, pois sabe que a torcida amazonense deve lotar o estádio no domingo.

– Fizemos o primeiro tempo em Brusque, onde precisaríamos ter saído com uma certa vantagem, a partida estava muito equilibrada, onde o Brusque colocou 2 a 0 na frente, mas o Manaus conseguiu o empate. Tenho certeza, que são as duas melhores equipes e ambas tem condições de ser campeão. Jogando na Arena da Amazônia com 45 mil pessoas se torna bem mais difícil, mas de qualquer maneira futebol é 90 minutos dentro de campo e como são duas equipes extremamente equilibradas qualquer um pode levantar a taça.

Além da motivação natural pela conquista do título, o dirigente do Quadricolor promete uma premiação extra para jogadores e comissão técnica de sair da capital amazonense com o feito histórico da Série D, em plena Arena da Amazônia

– Temos elaborado uma premiação no início da competição, já sentamos e conversamos. Tivemos contato com alguns patrocinadores no sentido de ajudar na premiação, caso chegássemos ao título e o acesso à Série D. Os jogadores são sabedores do que tem direito em que foi prometido e certamente vamos cumprir. A primeira parte já cumprimos, que era o acesso à Série C e está tudo ok. Agora a segunda é o título, se eles forem campeões a diretoria com os patrocinadores faremos a nossa parte.

Quando soube da atitude dos dirigentes do Manaus em vender rifas nas ruas, Danilo Rezini, afirmou que as dificuldades financeiras do Brusque não é diferente do time amazonense. Segundo ele, é preciso se desdobrar para garantir os compromissos que o clube tem na disputa da Série D.

– As dificuldades que o Manaus tem são as mesmas que temos aqui. Nós também tivemos que fazer algumas promoções, temos alguns patrocinadores, entre eles o máster Havan. Além disso, tem mais seis ou oito empresas top da cidade, mas as dificuldades são as mesmas. O que temos de patrocínio fica a quem das necessidades e estamos sempre com a caixa no vermelho, mas correndo atrás para pagar as contas e cumprindo com as nossas obrigações – disse, mas sempre acreditou que o time poderia chegar bem longe na Série D.

– Na verdade quando se monta uma equipe e participa de uma competição, evidentemente que todos os clubes procuram fazer o melhor e de chegar em primeiro lugar. O Brusque não é diferente, mas é claro sabemos das nossas limitações, pois somos uma equipe que ainda estamos buscando espaço em Santa Catarina, mas principalmente no Brasil. Nós não esperávamos chegar na final, mas é um momento único, sendo Brusque ou Manaus, para mim foram as duas melhores equipes da competição – explicou. 

Outras postagens...

“A gente espera suprir”, diz diretor do São Raimundo sobre bloqueio, em jogo da Copa do Brasil 2022

Paulo Rogério

No primeiro jogo das oitavas da Série D, técnico do Bahia de Feira define o desafio com Nacional-AM “Fazer um grande jogo”

Paulo Rogério

Técnica do Flu considera jogo com Iranduba importante pela última rodada do Brasileiro Feminino Sub-18

Paulo Rogério

Leave a Comment

Este site usa cookies. Isto é necessário para que sua navegação seja mais eficiente. Não coletamos nenhum dado pessoal do seu navegador. Entendi! Leia mais...