SportsManaus
FUTEBOL AMAZONENSE

Na faixa de 17 a 21 anos, Lana tem a missão de comandar a jovem equipe do Princesa na temporada

Foto: Divulgação

Apresentado nesta terça-feira, 16/2, em sua segunda passagem pelo Princesa do Solimões, técnico Aderbal Lana, ‘papa títulos’ do futebol amazonense, tem pela frente um grande desafio: ajustar a jovem equipe do Tubarão do Norte. Após desistir da reedição do Campeonato Amazonense de 2020, a equipe se prepara para versão do estadual de 2021, com jogadores na faixa de 17 a 21 anos. A estreia será diante do Amazonas, no sábado, 27/2, às 19h (20h de Brasília), no Estádio Gilberto Mestrinho, o Gilbertão, na cidade de Manacapuru (a 86 km da capital). No total, o Princesa conta aproximadamente 30 jogadores, sendo remanescentes sete jogadores do ano passado.

De acordo com Aderbal Lana, ele tem pouco tempo para trabalhar com a garotada, oriundo de Manacapuru e das comunidades adjacentes, além dos jogadores do último time. Ele afirmou, que vai usar toda sua experiencia para qualificar o jovem time do Tubarão.

– Eles me chamaram para conversar e mostrar o projeto. Eles estão com uma equipe de jogadores praticamente só da cidade. Eles querem levar isso adiante, pediram para cooperar da melhor maneira possível, para que eles possam ter uma equipe praticamente caseira dentro do campeonato, que começa depois desse de 2020 – justificou ao SPORTS MANAUS, mas afirmou que não é a primeira vez que assume uma equipe totalmente jovem.

– Tive essa experiência no Nacional em 1986, sendo campeão praticamente com um time da base. Vi na sede do Nacional uma foto do time que foi campeão na época, quando eu lancei o Sergio Duarte. Naquele tempo, a gente tinha Paulo Galvão, o goleiro Edson Cimento, e acho que o Luís Florêncio e o Marinho Macapá, o restante tudo garoto da base. A gente fez um belo campeonato, e fomos campeões, enfim, foi esse o trabalho que eu fiz com os garotos – comentou.

Mesmo com o desafio de comandar a garotada, Lana, reconhece que vai precisar de alguns jogadores pontuais em determinadas posições para balancear o grupo na temporada. Segundo ele, tudo depende também do lado financeiro do Princesa.

– Vai ter a necessidade de pedir reforços, mas tudo depende também da condição financeira do clube. A gente sabe que os times, devido a essa pandemia foram muito sacrificados, ou seja, não tem torcida, não tem patrocínio, é muito difícil contratar nesse momento. Vamos trabalhar com o que se tem, dentro das possibilidades, a gente traz um ou outro jogador. Para se disputar um campeonato ‘pau a pau’ tem que ter pelo menos de 7 a 8 jogadores – concluiu, mas sobre resultados de imediato e paciência da torcida, ele afirmou:

– Isso não se pode pedir, porque ninguém tem paciência em resultados do trabalho no futebol, ou seja, você ganha ou não ganha! Futebol para ter sucesso tem que ganhar todas, não pode perder nenhuma, mas estou tranquilo quanto isso, porque eu sei aquilo que estou enfrentando, porque ainda tenho disposição para isso. O velho aqui tá inteiro e vamos trabalhar muito para conseguir os resultados – finalizou Lana.

 

Outras postagens...

Presidente da arbitragem do AM, celebra a escalação de Anne Kesy no Campeonato Sul-Americano sub-17

Paulo Rogério

De goleada, Manaus vence Amazonas e conquista o primeiro turno do Amazonense

Paulo Rogério

Depois de gestos obscenos, torcedor do São Raimundo se defende e jornalista repudia atitude

Paulo Rogério

Leave a Comment

Este site usa cookies. Isto é necessário para que sua navegação seja mais eficiente. Não coletamos nenhum dado pessoal do seu navegador. Entendi! Leia mais...