SportsManaus
FUTEBOL AMAZONENSE

Preocupado com a Covid-19, presidente do Princesa desiste e sugere a não realização do estadual 2020

Foto: Antônio Assis / FAF 

“A gente está com o coração partido”. Assim definiu o presidente do Princesa do Solimões, Modesto Alexandre, sobre a calamidade causada pela Covid-19, que assola o estado do Amazonas, em especial a Manaus. Em razão disso, nesta quarta-feira, 27/1, o dirigente comunicou a FAF da sua desistência de participar do Campeonato Amazonense de 2020, que inicia no dia 10 de fevereiro. Segundo o documento, a alegação do clube se baseou nos recentes decretos estadual e municipal.

De acordo com o mandatário do Tubarão do Norte, o clube estava animado com as novidades que poderiam surgir, mas afirmou que o correto seria que os outros clubes seguissem o mesmo procedimento do Princesa. Segundo ele, a entidade organizadora da competição poderia agir diferente sobre a realização do evento.

– Quem faz o campeonato são os clubes, e são eles que realizam o mesmo. Se todos chegassem a um consenso igual ao Princesa, eles tomariam outro rumo. Pergunto: a federação iria punir? Não tem como, pois infelizmente só o clube teve essa atitude correta. Aconteceu tanta coisa boa nos bastidores, estava tão animado, mas de repente não se tem mais clima para disputar – comentou, mas ainda disse ao SPORTS MANAUS.

– A nossa cidade foi muito afetada por essa pandemia. Nós tivemos a sensatez de não participar, mas isso não é covardia e nem falta de responsabilidade. A gente tem respeito as pessoas que estão perdendo seus entes queridos. Manacapuru é uma cidade pequena, ou seja, ou se falece um amigo, parente ou conhecido. Aqui tem enterro de manhã, à tarde, de madrugada e a noite. Em respeito a tudo isso, não temos clima para o campeonato – .

Para o dirigente do Tubarão do Norte, o futebol mexe com a paixão do povo, mas nesse momento em que o povo  vive esse drama da pandemia, com a morte de parentes ou não, a competição não tem razão para acontecer.

– Eu questionei isso na reunião, mas disseram que em todo Brasil está sendo realizado futebol. Faço uma pergunta: e o decreto do governador não proíbe? Se não está proibindo futebol, porque o Manaus não jogou na Arena? Quer dizer que a FAF determina, e eu tenho que ir para o vestiário pra pegar Covid e morrer? Não é por aí a coisa, nós não temos clima em nossa cidade para participar, mas graças a Deus a população e os torcedores estão do nosso lado – concluiu, mas  entretanto, citou.

– Desejo boa sorte aos outros times, mas hoje eu durmo no meu travesseiro com a cabeça bem tranquila. Eu espero que dê certo, mas qual é o decreto que agora pode surgir pela frente? Porque a gente briga aqui com dois decretos, tanto do governo, como da prefeitura. Infelizmente a federação não olha para esse lado. Acha que tem de fazer, mas nós não vamos compactuar com algo que pode prejudicar muita gente lá na frente – alertou Modesto.

 

Outras postagens...

Visando 2023, presidente do Fast revela conversa com técnico João Carlos Cavalo

Paulo Rogério

Técnico estreia no Penarol, mas com foco em uma boa vitória pela Série D

Paulo Rogério

“Acredito que tende a ser mais difícil”, diz técnico do Fast sobre o Rio Branco-AC, mas quer a vitória em casa, na Série D

Paulo Rogério

Leave a Comment

Este site usa cookies. Isto é necessário para que sua navegação seja mais eficiente. Não coletamos nenhum dado pessoal do seu navegador. Entendi! Leia mais...