SportsManaus
FUTEBOLFUTEBOL AMAZONENSE

Sobre o novo comandante do Nacional, Fernando Gaúcho avisa: “Estão chegando muitos nomes”

Nomes do futuro treinador estão sendo oferecidos para a diretoria do Naça.

Foto: Reprodução

Após a saída do técnico Wellington Fajardo, depois da eliminação do Nacional nas semifinais do Campeonato Amazonense da Série A, a diretoria do Leão da Vila Municipal, já começa a se movimentar em busca do novo treinador para o Campeonato Brasileiro da Série D, que começa na primeira quinzena de maio. A equipe está no grupo A1, ao lado de Princesa do Solimões, Águia de Marabá-PA, Humaitá-AC, São Francisco-AC, São Raimundo-RR, Trem-AP e Tuna Luso-PA.

De acordo com o executivo de futebol do Naça, Fernando Gaúcho, em respeito ao agora ex-técnico Fajardo, não será ainda anunciado qualquer nome no comando do Naça. Segundo ele, estão surgindo nomes de vários profissionais para assumir a equipe na Série D.

– Vários nomes têm surgido, e até por uma questão de ética e respeito pelo professor Fajardo, que se encontra na cidade, não será de imediato que vamos anunciar o novo treinador. Não estamos conversando com nenhum treinador ainda. Estão chegando muitos nomes, mas quem vai escolher será nós de uma maneira bem cautelosa. Não vamos expor um treinador, que esteja em competição, vamos ter cuidado, tranquilidade para escolher com perfil de técnico, que a gente possa conseguir buscar esse acesso à Série C – pontuou ao SPORTS MANAUS.

De acordo com o dirigente do Leão da Vila Municipal, o futuro comandante tem que se encaixar dentro do orçamento do clube, com os jogadores que vão continuar no elenco, mas principalmente que entendam a filosofia de trabalho para a sequência da temporada.

– A gente tem que buscar um treinador dentro do orçamento do clube, quando a gente faz uma gestão não estamos trabalhando exclusivamente no futebol. Nós temos que buscar receita para o clube, equilibrar a questão financeira que é muito importante. Embora nós temos um respaldo do presidente, que é o investidor do clube, mas temos que trabalhar para gerar receitas para o Nacional ter seu próprio caixa – disse, mas ainda lembrou.

– Sobre o treinador, tem que se enquadrar na metodologia do presidente, da nossa e também do elenco que temos. Algumas peças pontuais vamos trazer. Obviamente, vamos alinhar com o treinador, até porque a formação do nosso elenco para o estadual foi muito em cima da plataforma do Fajardo. Esses novos atletas que chegarem, tem que ter um perfil, que o treinador vai utilizar, assim como vai jogar – concluiu.

LEIA MAIS:

Saída

Com relação a saída do técnico Wellington Fajardo, o executivo de futebol, disse que como em qualquer equipe do futebol brasileiro e até mundial, os resultados positivos definem ou não a continuidade de qualquer profissional no futebol, não sendo diferente com Fajardo.

– O Fajardo tinha um contrato até o fim do estadual. Ele veio para um projeto, incluído a médio e a longo prazo, mas nós entendemos também que futebol é muito imediatista. É um treinador que tem um respaldo muito bom, uma credibilidade muito grande, é uma excelente pessoa, e que fez parte desse processo de reformulação do Nacional. Ele deixou esse legado de preparação, de estrutura e uma espinha dorsal, onde de certa forma vai nos facilitar a gente buscar contratações pontuais para a Série D”, contou Gaúcho.

 

Outras postagens...

Iranduba vence o São Raimundo e garante vaga na próxima fase do Amazonense

Paulo Rogério

“Só dependemos das nossas forças”, define técnico do Galvez-AC sobre jogo com o Fast, pela Série D

Paulo Rogério

São Raimundo não resiste e é goleado pelo Atlético-MG na Copa do Brasil sub-17, em Manaus

Paulo Rogério

Leave a Comment

Este site usa cookies. Isto é necessário para que sua navegação seja mais eficiente. Não coletamos nenhum dado pessoal do seu navegador. Entendi! Leia mais...