SportsManaus
FUTEBOL FUTEBOL AMAZONENSE

No jogo de ida pelo BR Feminino A3, técnico do Ypiranga-AP define confronto com 3B: “Como uma final”

Nas fases anteriores, o Clube da Torre passou por Remo e Paraíso-TO, respectivamente.  

Foto: Divulgação / Ypiranga-AP

Em sua primeira participação no Campeonato Brasileiro Feminino A3, a luta pelo acesso chega na reta final, mas em dois jogos decisivos para conquistar a tão sonhada vaga na Série A2 de 2023. Com esse pensamento, o Ypiranga-AP encara seu primeiro desafio diante do 3B da Amazônia, pela terceira fase, outro candidata a vaga, na partida de ida, neste sábado, 16/7, às 16h local, no Estádio Zerão, em Macapá. Nas fases anteriores, o o time amapaense passou por Remo e Paraíso-TO, respectivamente.

Ciente da qualidade e potencial do time amazonense, favorito ao acesso, o técnico Rogério Barreto, há quase um ano no comando das meninas do Clube da Torre, admite que será o adversário mais difícil até agora na subida de divisão.

– Sim, certamente e dessa forma que estamos encarando essa partida. As nossas atletas estão conscientes do grande desafio, que tem nessa final, pois encaramos todos os jogos, todas as fases, assim. Por se tratar do jogo de acesso para a Série A2, o pensamento não pode ser diferente, que é a vitória – disse ao SPORTS MANAUS, mas ainda acrescentou.

– Estamos encarando sim, como uma final. Estamos conscientes de que podemos surpreender e fazer duas grandes partidas. É com esse pensamento positivo, com a força da nossa torcida, e fazendo esse clima para conseguir criar um ambiente a nosso favor. Com isso, chegarmos ao resultado almejado, que é a vitória – completou Rogério.

Apesar de jogar em casa, o comandante do Ypiranga, não considera como uma obrigação vencer o primeiro jogo. Para ele, é fundamental manter o mesmo padrão, sem cobrar muito para não gerar ansiedade do grupo.

LEIA MAIS:

– Não vejo como uma obrigação. É um peso, que a gente tenta tirar das nossas atletas para não causar uma ansiedade e mudar nossas características de jogo, e nem mudar o que vem dando certo. A nossa obrigação hoje é fazer duas grandes partidas. Sabemos que o confronto se definira em 180 minutos, seja qual for o resultado. Nossa equipe vai buscar o equilibro dentro das duas partidas e fazer por merecer os resultados – disse, mas sinalizou sobre a estrutura e investimento grande para o Brasileirão do time amazonense.

– Temos uma cara e nosso jeito de jogar, mas sempre respeitando muito os pontos fortes e tentando aproveitar a deficiência dos nossos adversários. Sabemos também, que o clube trouxe o professor Sergio Duarte. É uma equipe, que sabe jogar com transições longas, mas é muito forte no meio quando tem de fazer jogadas de aproximação. Sabemos que vai ser um grande jogo. A nossa equipe também é muito organizada taticamente e com seus valores individuais. A expectativa é de uma grande final – disse o treinador.

 

 

Outras postagens...

“A nossa preferência é por um técnico local”, diz diretor do São Raimundo sobre futuro comandante de 2021

Paulo Rogério

Com dois gols no segundo tempo, Fast reverte vantagem, vence Amazonas e confirma vaga na semi do estadual

Paulo Rogério

Em final eletrizante, Manaus vence de virada o São Raimundo e conquista o quarto título do Amazonense

Paulo Rogério

Leave a Comment

العربية简体中文EnglishFrançaisDeutsch日本語PortuguêsEspañol