SportsManaus
FUTEBOLFUTEBOL NACIONAL

De olho nas conquistas, mas com objetivo de revelar jogadoras, técnico do Atlético-MG define sobre o BR Feminino Sub-17: “Esperamos fazer bons jogos”

A estreia das Vingadoras será contra o Flamengo, na segunda-feira, 13/11, no Estádio Osvaldo Faria, em BH.

Foto: Thamires Nogueira / Midias Wolff

Sem marcar pontos na temporada do ano passado, o Atlético-MG vai em busca de bons resultados, mas com o objetivo de revelar as futuras craques para o time principal do Galo, na disputa da 2ª edição do Campeonato Brasileiro Feminino Sub-17 de 2023. No grupo B, considerado muito difícil, as Vingadoras vão enfrentar o Athletico-PR, Flamengo e Santos. A estreia será contra o Flamengo, na segunda-feira, 13/11, às 8h30 (de Brasília), no Estádio Osvaldo Faria, na sede Belo Horizonte.

Sabendo que o time está em um grupo com grandes equipes do futebol brasileiro, o técnico Eduardo Serafini, que também comanda a equipe Sub-20 do Galo, não gosta muito do termo “grupo da morte”. Para ele, é uma chave mais complicada, em relação às outras, mas disse que a equipe está preparada para o desafio.

– Na verdade, eu não acho esse termo não muito apropriado, principalmente porque estamos falando de base, de formação, onde a busca por vitórias, é sim parte do processo, mas não deve ser o objetivo principal. Na minha opinião é sim, o grupo mais equilibrado, e acredito que será bastante disputado por essas equipes, que tanto valorizam e apoiam a base, inclusive é um grupo que tem três das oito equipes participantes da Nike Premier Cup Sub-17 2023, que foi disputada na Granja Comary – explicou ao SPORTS MANAUS, mas ainda acrescentou.

– Nós que fomos a equipe vice-campeã, o Flamengo campeão e o Santos, a terceira colocada, inclusive o Santos é vice-brasileiro do Brasileiro Sub-17 2022. É um grupo bastante equilibrado, mas sabemos que o futebol é imprevisível. Esperamos fazer bons jogos com grandes equipes tradicionais, fortes e conseguir a tão sonhada classificação para as semifinais do campeonato – citou Eduardo.

Sendo uma das grandes equipes do futebol nacional, vencer e conquistar títulos fazem parte do contexto, mas o comandante das futuras craques do Galo, também lembrou que é fundamental revelar jogadoras que vão fazer parte da história do clube em grandes competições.

LEIA MAIS: 

– Desde quando reassumi a base do Galo feminino em 2022, foi estabelecido que o principal objetivo da base é a formação de novas jogadoras e a revelação de novos talentos para a equipe profissional do Galo feminino. Em pouco mais de um ano, podemos dizer que o objetivo já foi cumprido. Uma vez que, esse ano subiram ao elenco profissional cinco jogadoras, que eram da base nesse período que estou no clube – citou Serafini, mas ainda destacou.

– Inclusive, duas delas para participar do Campeonato Brasileiro Sub-17. Obviamente, participar de competições é uma parte importante do processo de formação e sempre vamos mostrar o DNA do Galo jogando com muita raça, amor e fazendo sempre o nosso melhor para representar muito bem o clube – salientou o treinador.  

 

 

 

Outras postagens...

Adversário do Fast na Copa SP, técnico do Jacuipense-BA afirma: “Já iniciamos o processo de pesquisa”

Paulo Rogério

Em jogo da eliminação do Fast no acesso, Vuaden volta e apita partida decisiva do Amazonas e Portuguesa-RJ pela Série D

Paulo Rogério

Sem calendário, técnico do Fast lamenta falta de jogos para pegar o Cuiabá-MT pela Copa do Brasil Sub-17

Paulo Rogério

Leave a Comment

Este site usa cookies. Isto é necessário para que sua navegação seja mais eficiente. Não coletamos nenhum dado pessoal do seu navegador. Entendi! Leia mais...