SportsManaus
FUTEBOLFUTEBOL AMAZONENSE

Responsável pelo primeiro título, Aderbal Lana volta ao Manaus FC e avisa: “Montar um time com qualidade e não quantidade”

Foto: Ismael Monteiro/Manaus FC

Aos 76 anos, motivado e com vontade de trabalhar, Aderbal Lana, foi apresentado como o novo comandante do Manaus FC na temporada de 2024, na disputa do Campeonato Amazonense da Série A, Copa Verde, mas principalmente no Campeonato Brasileiro da Série D, e a luta pelo retorno à Série C de 2025. A apresentação foi na tarde desta quarta-feira (1º), na coletiva de imprensa, no Da Vinci Hotel, na zona Sul da cidade, também com a presença do novo gestor de futebol, o ex-jogador Márcio Passos.

Responsável pelo primeiro título do Gavião do Norte no profissional, em 2017, Lana volta ao clube, mas ciente de que o regional será muito difícil. Por esse motivo, a prioridade é montar um elenco com bons valores individuais.

– O futebol tem que ser assim, montar um time com qualidade e não quantidade, porque o futebol é caro. O futebol Manauara e os investimentos aqui, levaram o padrão financeiro de salários muito acima. Com isso, você tem dificuldade, mas se trabalha com o mínimo possível de jogadores, porém, com qualidade para ficar sempre entre os primeiros – alertou ao SPORTS MANAUS, mas ainda destacou sobre sua volta.

– Estou feliz, porque você trabalhar, onde tudo está correndo bem, ter um bom time nas mãos é uma coisa, mas o bom mesmo é montar de baixo, mostrar que tem condições de fazer aquilo que as pessoas acham impossível. Eu sempre fui assim, nunca trabalhei em um time que chegasse e o time tivesse ganho. Sempre tem algum problema, mas a gente arruma aqui, arruma ali, mas no final acerta – completou Lana.

LEIA MAIS:

Em sua segunda passagem no Gavião, o experiente treinador, ressaltou a harmonia em trabalhos em outras situações do futebol, com os principais mandatários do clube. Para ele, isso é fundamental para que o trabalho flua e conquiste bons resultados.

– Eu trabalhei com o Giovanni e o Mitoso, em duas equipes. Nós tivemos uma convivência boa, e as vezes que trabalhei em outras equipes, na qual os dirigentes e todo mundo achava que não tinha problema, mas foram esses que me deram problema. Com o Mitoso e o Giovanni, eu não tive nenhum problema. Espero que continue assim, e a gente busque os resultados que precisamos – salientou Aderbal.