SportsManaus
ESPECIAIS

“Quero ser presidente, porque estou preparado”, afirma Rozenha, sobre sua candidatura à presidência da FAF

Foto: Divulgação

A eleição à presidência da FAF vai definir o futuro gestor da entidade máxima do futebol amazonense. Os candidatos, já iniciaram seu trabalho nos bastidores para conquistar esse objetivo. Com passagem no comando do Fast Clube, o empresário da marca ‘Sapatinho de luxo’, Ednailson Rozenha, 45 anos, mostra uma candidatura sólida para comandar os novos rumos do futebol local. Natural de Porto Velho, Rozenha, chegou no Amazonas em 1991, mas além do futebol, ele já foi vereador e presidente da Comissão de Esportes, trazendo na época a Manaus, o futebol olímpico. Ele relata os principais motivos de sua candidatura, que podem alavancar o futebol amazonense.

Rozenha, já foi vereador da cidade de Manaus (Foto: Divulgação)

SPORTS MANAUS – Rozenha, porque você é candidato a presidência da FAF no próximo pleito da entidade máxima do futebol amazonense?

ROZENHA – Sou candidato por entender que o momento atual requer uma mudança profunda na gestão da federação. Eu tenho as credenciais para fazer essas mudanças. A federação e o futebol, são vítimas infelizmente de pura falta de cuidado. A inércia e a falta de ação têm custado muito caro para o futebol amazonense. Quero ser presidente, porque estou preparado para em médio prazo liderar um movimento de valorização do futebol local, seja no amador, profissional, passando pela base e pelo feminino.

SPORTS MANAUS -Você já foi presidente do Fast do Clube, parlamentar na Câmara Municipal de Manaus e é empresário. Você acredita que essas experiências dentro e fora do futebol vão ajuda-lo no comando da federação, caso seja eleito?

ROZENHA – Sem dúvida, o Fast me trouxe acima de tudo vivência e experiência para saber onde as feridas doem no futebol. Ter sido um parlamentar, me ensinou a dialogar e buscar entendimento comum. E ser empresário, me ensina como um todo a liderar por resultados.

SPORTS MANAUS – O presidente Dissica Valério Tomar, está afastado do cargo, por motivos de saúde, mas está no comando da federação há pouco mais de 30 anos. Você acredita, que a ausência do Dissica contribui para sua candidatura, bem como de outros candidatos?

ROZENHA – Na verdade, formalmente ele não está afastado. Não tenho notícia de um documento dele pedindo afastamento. Logo, ele ainda é o presidente de fato. E não mudaria muita coisa, se não estivesse ausente. A classe quer mudanças !!!

Ele é um empresário bem sucedido com a marca ‘Sapatinho de luxo’ (Foto: Divulgação)

SPORTS MANAUS – Quais seriam as principais propostas para mudar a atual situação do futebol amazonense como um todo, independentemente de clubes e ligas que compõem a estrutura da federação?

ROZENHA – Vou montar um corpo técnico competente, sem prestigiar ninguém por amizade, mas sim por competência. As diretorias serão técnicas. Mudaremos o estatuto para impedir que novamente administrações se perpetuem no poder da FAF. Ampliaremos o futebol feminino pelo interior. Criaremos categorias sub-7 com escolas convidadas e instituições. Teremos departamento de projetos In House, só para irmos buscar apoio para o futebol amazonense com credibilidade.

SPORTS MANAUS – Candidato, você participou uma vez do programa Câmara Esportiva e disse que vai tornar a federação profissional, mas o que seria isso exatamente? Por exemplo, seria trazer profissionais para trabalhar em determinadas áreas da entidade?

ROZENHA – Primeiro arrumar a casa, vamos trocar de casa, estruturar os departamentos. Vamos colocar o trem nos trilhos e somente depois acelerar, com isso trazer credibilidade. Vamos abraçar e apoiar os clubes e no interior fazer campeonatos, que não tragam a humilhação de atletas dormirem no chão.

Aqui ele aparece em um evento de futsal em Manaus (Foto: Divulgação)

SPORTS MANAUS – Rozenha, você lançou sua candidatura ano passado com antecedência, inclusive com apoio de representantes de ligas desportivas do interior do Amazonas. Esse fator pode ser o diferencial para conquistar à presidência da FAF?

ROZENHA – Tem gente que quer ser presidente da FAF sem conversar, sem viajar e sem proposta, mas com apenas a velha lábia, e papo com amigos políticos. Não pegou um Teco Teco ou lancha para ouvir o presidente de interior. Eu fui durante meses ao interior, conheço de perto os anseios. Conheço a todos com um amigo. A posição deles em votar na gente é cristalizada. A onda azul invadiu o Amazonas e cresceu.

SPORTS MANAUS – Em sua opinião, quais são os principais problemas e dificuldades, que a federação passa nesse momento, que não ajudam no desenvolvimento do futebol amazonense?

ROZENHA – Credibilidade e confiança. Ninguém confia na FAF. A falta de comando, e sem comando, o time trabalha fora do compasso. Na federação, não existe departamentos e vivem apagando incêndios. Não há planejamento estratégico e muito menos metas. O descrédito é latente e a sociedade não tolera tantos anos de abandono.

SPORTS MANAUS – A federação tem um calendário de competições, incluindo o futebol profissional, base, amador e feminino. Qual seria sua proposta para mudar esse panorama e tornar os campeonatos mais atrativos, levando em consideração a particularidade de cada um?

ROZENHA – Temos que criar dinâmicas inclusivas como futebol amador em Manaus, futebol feminino amador no interior e sub-7 em Manaus. Além disso, darmos um jeito dos clubes profissionais terem um calendário mais atraente. Não existe futebol amador em Manaus com a chancela da FAF. Teremos sim, futebol amador em Manaus, inclusive o feminino.

Rozenha sempre foi identificado com o esporte (Foto: Divulgação)

SPORTS MANAUS – Em outros regionais os campeonatos além da premiação com troféus e medalhas, ainda tem o lado financeiro. O senhor tem planos para premiar financeiramente o futebol profissional, seja das Séries A e B?

ROZENHA – Temos que buscar patrocínios para premiarmos os melhores. Não acho justa a divisão igual dos recursos. Uma parte divide igual, mas outra deve ficar com os melhores. Administro um negócio com presença quase que nacional. Garanto que a complexidade do meu negócio é infinitamente superior aos desafios da FAF. Sou oriundo da iniciativa privada. Sou executivo de ação, que trabalha com um time enxuto, mas altamente capacitado. Garanto, não terei problema algum para fazer da FAF uma das federações mais dinâmicas, modernas e pró ativos do país. Sei fazer, posso e quero doar o meu tempo para soerguer esse esporte que amo tanto. Quem ama cuida! E eu vou cuidar bem do nosso futebol.

SPORTS MANAUS – A cidade de Manaus foi palco de jogos da Copa do Mundo de 2014 e do torneio olímpico de futebol masculino e feminino, Rio 2016, além de outros eventos. Qual seria sua proposta para aproveitar esse legado deixado, como a Colina, o Carlos Zamith, mas principalmente a Arena da Amazônia para promover eventos com a participação de clubes locais?

ROZENHA – Nas pré-temporadas, porque temos certeza, com investimentos pequenos vamos fazer eventos grandes com clubes grandes internacionalmente, inclusive. Mas temos que ir lá e mostrar o projeto. Hoje ninguém sai do seu canto para nada! Como vai acontecer, se a inércia é perene?

SPORTS MANAUS – O senhor se considera capaz de assumir a presidência da FAF, caso seja eleito para desenvolver um trabalho diferente, em comparação ao que é realizado ao longo dos anos pela atual administração?

ROZENHA – Sou absolutamente capaz, sou preparado e sou competitivo, além de focado em resultado. E vou, junto com a minha equipe fazer o futebol viver novos momentos. Serão novos tempos !!!

 

 

 

Outras postagens...

Emily Lima conta sua história, sua visão do futebol brasileiro e seu projeto na Seleção Feminina do Equador

Paulo Rogério

Técnico do Holanda admite pouco tempo de treinos para estreia na Série B do AM

Paulo Rogério

Adversário do Fast-AM, técnico do Trindade-GO disse que vai surpreender na Copinha

Paulo Rogério

Leave a Comment

العربية简体中文EnglishFrançaisDeutsch日本語PortuguêsEspañol